9.12.08

O Díinamo está de férias!

Voltaremos depois do carnaval!

SUPER 8 - estou centralizando os pedidos de rolos de filmes Super 8 - pretendo fazer o pedido em janeiro de 2009 - quem quiser me manda um email com o título "SUPER 8" até o fim do ano.

Lembrando que o longa do Biscaia, Morgue Story, estréia nesta sexta-feira na cinemateca!

Abraços,

TK

2.12.08

Díinamo, Núcleo de Cinema Lambaris e Labaredas

convida para, nesta quarta-feira, no PARALELO, conferir os filmes resultado da Oficina de Super 8, do Festival de Cinema Super 8 de Curitiba, o Curta 8, que aconteceu semana passada no Teatro da CAIXA, em Curitiba.

Serão dez filmes em Super 8, feitos por jovens realizadores curitibanos, cada um com três minutos e meio, feitos no sistema "tomada única" - com edição no gatilho da câmera.

Nesta quarta será oportunidade de conhecer também o documentário CURITIBA AO SOM DA VIOLA – Uma canja no circuito da música sertaneja em Curitiba. Direção de Gustavo Portes.

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

21.11.08

CURTA 8 - Festival de Super 8 de Curitiba

Toninho nos explica:

"Festival de Cinema Super-8 de Curitiba, o Curta 8, acontece no Teatro da Caixa (Rua Conselheiro Laurindo, 280), de 25 a 27 de novembro.

A novidade do Curta 8, que tem participantes do Brasil e do exterior, fica por conta dos filmes realizados a partir da oficina na técnica “Tomada Única”. Nela, dez alunos, depois de orientados por professores, receberam um cartucho Super-8 para filmar um roteiro de sua escolha, mas sem a opção de editar o material filmado. A edição teve que ser feita na própria câmera. Revelados pela organização do Festival, os filmes só serão vistos pelos realizadores no dia da exibição para o público."

O Festival, com entrada franca, tem a seguinte programação:

Dia 25 - Terça-feira
19h - Coquetel de abertura
19h30 - Abertura e exibição de filmes
20h30 - Exibição de filmes

Dia 26 - Quarta-feira
Exibições às 18h40, 19h e 20h15

Dia 27 - Quinta-feira
18h40 - Exibição de filmes
19h30 - Cerimônia de premiação com exibição dos filmes premiados

9.11.08

Curta Rio

Companheiros,
Estou no Rio, onde ficarei mais alguns dias, então as sessões do Díinamo ficam suspensas por enquanto.
Nos últimos dias pude acopanhar o festival de curtas do rio, o CURTA CINEMA 2008, que teve patrocínio da Light, Petrobras e CAIXA.
Aproveitei para fazer uma oficina de direção com o Eduardo Coutinho e assisti muita coisa interessante, entre elas o novo filme do Woody Allen: Vicky Cristina Barcelona, presente (d)na Maratona do Odeon.
Acompanhei também a exibição do Colorado Sport Club e de um trabalho dos garotos da Banzai. Fabio Alon e Thales Banzai também estavam aqui no Rio.
Ontem foi o encerramento do festival, no belíssimo cine Odeon. Alguns dos vencedores foram "SUMI", de Marina Fraga e "O Sapato de Aristeu".
A festa de encerramento foi Black e Soul, na Praça Tiradentes (e o Thales dançou como se fosse o negro Black Power de seu vídeo).
Até a volta!
T. K.

28.10.08

Díinamo, Núcleo de Cinema Independente Pode Crer

convida para, nesta quarta, 29 de outubro, às 20h, no Paralelo, assistir e discutir:

O mitológico “PASTOR ROBSON” – (36’ doc. 2000) de RICARDO MACHADO – O filme foi exibido pouquíssimas vezes publicamente e é o primeiro da série Cinema Sensível. Machado explica sobre o filme: “Em abril de 2000 fui abordado numa madrugada por um mendigo inteligente e articulado. Um auto-proclamado pastor político e xenófobo. No dia seguinte passei cerca de 15 horas com uma câmera de vídeo, seguindo esse sujeito pelas ruas de Curitiba.”

COM AS PRÓPRIAS MÃOS - (15’- ficção – 2008) de ALY MURITIBA – Num imenso galpão abandonado os instintos animais de auto-preservação e destruição estão colocados frente a frente. Uma Mulher inflige as mais diversas torturas a um Homem a fim de obter respostas. Contudo as verdades podem ser mais duras do que as dúvidas. – O vídeo foi premiado com o primeiro lugar na categoria ficção do GRAMADO CINE VÍDEO de 2008.

TARANTUS – (3’, Doc. Experimental – 2008) – de DIOGO MARQUES – Um olhar sobre a importância do espelho na relação entre dois seres.

E

ENQUANTO O MUNDO DORME – (9’ - Doc. 2007) de DIOGO MARQUES - documentário que investiga o cotidiano peculiar e pouco conhecido de uma grande cidade no período imediatamente anterior ao início de um novo dia. Retratando a vida e as visões das pessoas que trabalham de madrugada para renovar e manter os recursos da própria cidade, o filme acompanha quatro trabalhadores noturnos que dedicam suas vidas a manutenção da ordem na cidade, não importando o quanto são ou não reconhecidos. Através de seus depoimentos e das dificuldades enfrentadas por cada um ao longo da noite, o documentário apresenta a vida e a luta desses seres invisíveis e pouco conhecidos pela sociedade para manter a cidade funcionando enquanto o mundo dorme.

Relembrando, senhores, 20h!

- E o Díinamo adverte: últimos dias para conferir a exposição sobre as décadas de 30 e 40 nas escadarias do SESC DA ESQUINA – aberta até o dia 31/10 – não perca!

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

26.10.08

Exposição DÉCADAS - até o dia 31 de outubro.

Continua, nas escadarias do SESC da ESQUINA, a exposição do Díinamo sobre as décadas de 30 e 40, até o dia 31 de outubro de 2008:


Som Total para Distrair as Massas: Díinamo nos Anos 30 – Depressão, totalitarismo e indústria de massas / cinema sonoro / cinema ideológico / cinema alienante. Em contraplano: pinhão com coca-cola. – A década de trinta se caracteriza por governos totalitários, cultura de massas e depressão econômica. Bombas relógio. O cinema, agora sonoro, populariza-se espantosamente. “A sala de cinema deve substituir o boteco e a igreja, deve ser um suporte para educação das massas.” (Leon Trotski – 1923). Nos Estados Unidos, em contraponto à depressão econômica, o cinema reforça o valor do trabalho, traz mensagens de otimismo e patriotismo. Na Etiópia era coroado como imperador Ras Tafari, Eleito de Deus, Rei dos Reis, Senhor dos Senhores e Leão de Judá. No Brasil foi década de Humberto Mauro, Getúlio Vargas, Noel Rosa.


Bombardeio e Estrelas Coloridas: Díinamo nos Anos 40 – Os sistemas estrelares das telas colorida, batom para as trincheiras e as conspirações das loiras. Em contraplano: Os Joaquins da província. – A década de 40 se caracteriza por explosões e bombardeios. A 2ª Gerra, holocausto, Hiroshima, Nuremberg. A criação do 1º helicóptero, da ONU, OTAN, FMI e Banco Mundial. No Brasil é década de Vicente Selestino, Zé Carioca, Ary Barroso. Em Curitiba assanham-se os Joaquins.

MOSTRA CAIXOLA

Estão abertas as inscrições para a Mostra Caixola, o festival audiofotográfico de Curitiba, até o dia 07.11.2008.
Mais informações no site da Mostra: http://www.mostracaixola.com.br/

21.10.08

Projeto DÉCADAS

No SESC da ESQUINA, nesta terça-feira, 21/10, às 19h, será aberta a exposição DÉCADAS. O DÍINAMO participa com as décadas de 30 e 40.

Os outros coletivos participantes são: INTERLUX, COUVE-FLOR, UNIDOS DO BOTÃO e PILARZINHO NO ESTRESSE.

Díinamo, Núcleo de Cinema Comixões e Curruíras

convida para, nesta quarta, 22 de outubro, no Paralelo, assistir e discutir:

O Rei Está Doente – de Adrinao Justino– Documentário, 15 min. – 2003. Na década de 60, o maior boxeador do Paraná, Júlio Thomazi, o Caninin, é derrotado por seu opositor, Ale Kanson, em sua primeira luta profissional.

e

- Deslocamento/Descolamento;

- O Ahú - um ensaio no cárcere;

- Praça: (a cidade entre parênteses); e

- Arte Urbana - grafite, lambes, sticker...



Trabalhos vencedores da MOSTRA CAIXOLA DE 2007.

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

14.10.08

3ª MOSTRA CINEMA E DIREITOS HUMANOS

Nesta quarta, dia 15 de outubro, o DÍINAMO recomenda assistir na cinemateca o filme TIRE DIÉ de FERNANDO BIRRI (Argentina, 33 min, 1960) às 18h30.

BALANÇO - FEST PARANÁ 2008 - Por RÔ CAETANO

FESTIVAL DO PARANÁ 2008

Breve balanço - por Rô Caetano

VALÊNCIO XAVIER - O grande escritor, cineasta e agitador culturalparanaense, Valêncio Xavier, está hospitalizado, enfrentando o Mal deAlzheimer. Tive a alegria de conviver com ele, no começo dos anos 90, aolado de Cosme Alves Netto e Francisco César Filho. Foi com alegria que vi "OMez da Gripe e..." levado às telas em "Mistéryos". Tive, desta vez, aalegria de assistir (em Curitiba) ao documentário Pão Negro, que ele,Valêncio, fez sobre a Colônia Cecília. A cópia foi presenteada a AlejandroSaderman, por Luiz Renato Ribas, que mantém na CineVideo, um mix de locadorae espaço cultural curitibano, um andar inteiro dedicado a DVDs de artistas,intelectuais e políticos paranaenses. Alejandro me emprestou cópia para queeu assistisse.

E por falar em COLONIA CECILIA volto a perguntar se alguém encontrou cópia,na internet, do filme do COMOLI. E pergunto, também, a PAULO BETTI, se aBand lançou, em DVD, a minissérie Colônia Cecília, que ela realizou, salvoengano, no começo dos anos 80 (ou finalzinho dos 70).

VAIA NO JURI -- O júri de curta não ganhou vaia. Mas o de longa (queintegrei) ganhou. Por duas vezes, nós -- Orlando Senna, Pitanga, Solange,Alejandro e eu -- ouvimos os apupos. 1. Quando se anunciou melhor ator paraa dupla "alucinada" Claudio Gabriel & Silvio Guindane. Parte do públicoqueria e torcia por Carlos Vereza, alter-ego de Valêncio Xavier, em"Mistéryos". O grande ator estava lá, acompanhando o filme, junto com aenorme equipe paranaense que o realizou. 2. Nova vaia se esboçou quando seanunciou um prêmio "pelo conjunto da obra" para um ator. Não era Vereza. Massim, o veterano Rui Rezende, que faz um coveiro-ajudante de Zé do Caixão em"Encarn. do Demônio".
Nosso júri foi muito harmonioso. Tive uma experiência muito feliz com estecolegiado. Juro, o melhor e mais ponderado com o qual trabalhei. Nãobrigamos (já peguei cada pau em júri!!!), discutimos com muito equilíbrio eponderação. Demos 3 prêmios para O GRÃO, do Ceará;

4 para FELIZ NATAL, do Selton (que vieram se somar ao do júri popular), edemos o maior prêmio -- 110 mil para o melhor diretor -- a dois realizadoresparanaenses. Solução política? Sim, mas também estética. O filme é cativanteem suas duas primeiras partes (a do desaparecimento da mocinha notrem-fantasma e a dos filmes pornôs brasileiros dos anos 20: nunca nosesqueçamos que Valêncio Xavier fundou a Cinemateca do Museu GuidoViaro-Paraná!!). Na minha opinião, o filme não segura o pique até o final,mas é uma boa surpresa paranaense. Fronteiras, do mineiro Rafael Condeganhou dois prêmios. O argentino Villa (Favela) ganhou roteiro. O filme doMojica ganhou dois troféus: direção de arte e especial para Rui Rezende.MOJICA esperava mais. Liz Vamp, a filha dele, me disse, no avião, na volta,que eles esperavam bem maissss!! Mas foi educada e muito simpática. Nãorolou nenhuma grosseria na relação do júri com os concorrentes que cobiçavamos imensos prêmios em dinheiro do III FEST PR. Não fomos distributivistas. Fomos, na minha opinião (suspeitíssima, claro!) generosos. Dos onzeconcorrentes, premiamos 7 (portanto, cinco nada ganharam).

CLARITA - Finalmente conheci, no Fest PR 2008, o filme de Thereza Jessourum,premiado com a Margarida de Prata, da CNBB. O filme acompanha os 16/17 anosde sofrimentos de Clarita (mãe de Thereza e de suas duas hermanas), vítimade Alzheimer. O filme é muito forte e corajoso. Soma imagens de Clarita, játomada pelo mal de Alzheimer, somadas a momentos em que ela é representadapor Laura Cardoso (eleita melhor atriz pelo júri de curta). No debate,Thereza explicou que não teve coragem de mostrar a mãe nos momentos maisdifícies da doença. Por isto pediu ajuda a Laura Cardoso. Numa conversa quetivemos depois, Thereza fez críticas ao filme canadense, "Longe Dela" (SallyPotter), que eu amo. Disse que o que se vê ali é romantizado perto do quesofre uma pessoa, vítima de Alzheimer. Me deu informações que eu não tinha. Mas, mesmo assim, continuo amando o filme canadense. E vejo que ele tocoufundo também a alma de Wim Wenders, que o escolheu para mostra especial, naMOSTRA SP 2008.

"UMA VIDA DIFÍCIL", DE DINO RISI -- Ittala Nandi, com ajuda de ClaudioValentinetti, organizou pequena Mostra DINO RISI (no catálogo do Fest PR,ele foi apresentado por texto resumido de Valentinetti. Quem quiser ler omaterial na íntegra -- assim como o ele escreveu para a mostra Glauberianas,outra paralela do Festival -- deve ir ao site). Não pude ver os 5 filmes.Mas a sorte me levou a pelo menos um deles:Uma Vida Difícil, de 1961, com Alberto Sordi (iluminado) e Lea Massari. Eunada sabia do filme. Nem que ele existia (Risi fez uns 80 longas!!!). Quefilme, dio mio!!! Tão bom quanto Il Sorpasso (aliás, feito no ano seguinte).
Trata-se de uma comédia inteligentíssima. Sordi é um jornalista e partigiano(um resistente contra o fascismo mussolinista). Conquistador contumaz epobre, ele vive numa pindaíba daquelas (durante a guerra e também nopós-guerra: o filme começa em 44/45 e vai até o final dos anos 50). Obem-estar dos anos 50 começa a lhe oferecer irresistíveis ofertas. Ele asaceitará para arrumar grana e dar a boa vida exigida por sua amada (LeaMassari)???? Esta é a questão do filme, que esbanja humor e picardia, com umretrato magnífico da Itália de então (o berlusconismo e seu poder midiáticoestão PRENUNCIADOS/profetizados). Se este filme fosse feito hoje, seriaCINICO até a medula. Mas naquele tempo ainda se acreditava em algo... AMEIIIde paixão. Alejandro Saderman tb ficou apaixonado pelo filme. FILME que,para completar, tem um colega do SORDI, um traficante de cocaína, que montauma casa noturna chamada: CANGACEIRO. E nela se ouve versão instrumentalde... AQUARELA DO BRASIL.

CHORO NA PARANÁ EDUCATIVA -- OUVI, na Rádio Paraná Educativa -- semprecaminhando no lindo Passeio Público curitibano, com seus pavões vaidosos! --um ótimo programa sobre "Bandas & Fanfarras" e outro sobre choro, comcomposições de Laércio de Freitas (autor da trilha de "Amassa Que ElasGostam") e outros bambas. Tudo com gravações da turma do CPC-UMES.

LETICIA SABATELLA, SIMONE SPOLADORE & MAUREEN MIRANDA -- Estas três atrizesparanaenses apresentaram as noites da mostra competitiva do Fest PR. Letícia& Simone com uma charmosa timidez. Maureen (é assim que se escreve?) comhumor e picardia. A moça é o cão chupando manga, tem presença de espírito, ébrincalhona na medida certa. Um achado!

FLORES & URTIGAS - Revi, em Curitiba, um amigo que não via há 20 anos: JobaTridente. Trabalhamos juntos no Correio Braziliense, em BSB. Ele era artistagráfico e jornalista. Eu, repórter e, depois, editora de Cultura. Matamos asaudade, falamos de um monte de coisas, atualizamos "vidas". Aí ele mecontou que tinha um curta na competição, chamado CORTEJO. Que gastara, com oco-diretor, Marcos Stankievicz, quatro anos para realizá-lo em 35 mm. Pediuque eu visse e opinasse. Gelei. Comentar filme de amigo é muito difícil. Masnão é que o filme -- de alma chapliniana-jacquestatiana -- é um encanto. Chama-se Cortejo, mas poderia chamar-se "Flores & Urtigas". Sem diálogos,ele se resolve só com a ação de quatro personagens. Um deles, o "volumoso" cineasta Geraldo Pioli.

DOSSIÊ RÊ BORDOSA -- A empatia deste filme com o público é um espanto. César Cabral, o diretor e co-roteirista, me disse que um longa brasileiro,que será lançado em janeiro, deseja tê-lo como complemento. Qual será? NoFest PR, ele fez barba, cabelo e bigode. Levou o público ao delírio!

GOVERNADOR CINEFILO - O que mais me chamou atenção no Fest PR 2008 (terceiraedição do evento criado por Ittala Nandi) foi a presença do polêmicogovernador Roberto Requião. Na noite de abertura, ele apareceu de calçajeans e jaqueta camuflada (tipo exército na selva). Sabia da fama dele, debrigão e "bocudo". Mas não o conhecia. Achei -- não nego -- curioso ofigurino dele. O cenário do Festival -- o belo MON - Museu Oscar Niemeyer --é dirigido pela mulher dele. Quando entramos no auditório (de quase 400lugares) para assistir a dois curtas (Pornografia, da Bahia, e "Luchador",de SP) e ao longa "Pachamama", de Eryk Rocha, Requião me surpreendeu maisainda (creio que aos outros convidados, também). Ao subir ao palco paradiscursar, ele já foi avisando "esta jaqueta de camuflagem se deve ao fatode que, tudo, no Paraná, é COMBATE". Seguiu falando de sua briga com aimprensa, pois, segundo ele, o antecessor alimentara os "insaciáveis" (palavra dele) jornais, rádios e TVs com mais de um bilhão de reais empublicidade, etc, etc. Falou da TV Paraná Educativa (e também rádio) ligadaa seu governo e foco central de muitas brigas dele com a oposição, etc, etc.
E contou que, na manhã de todas as terças, ele se reúne com seu secretariado-- com transmissão ao vivo pelas rádio e TV Educativa PR -- para discutirseus projetos de governo. (Amigos paranaenses me contaram que tal encontrofoi rebatizado e Escolinha do Requião). Ouvi no rádio (enquanto caminhava noPasseio Público) o que se passa(va) nesta reunião. Creio que dá frutospolíticos, pela transparência. Mas ... quando ele fala, a gente prestaatenção, pois tem uma voz poderosa, sintética e provocadora... mas quandoentram os secretários, o discurso fica muito técnico e cansativo...E por que falo disso tudo?

IMPRENSA -- Porque o FESTIVAL -- bancado por um Governo (e duas de suasestatais) que vive em guerra com a imprensa -- ocupa, claro, espaço mínimonela. Até o filme paranaense, MISTERYOS, ganhou matéria modesta no dia desua exibição. Que, por sinal, abarrotou o Auditório do MON, com mais de 500pessoas (escadas totalmente tomadas). O outros recordistas de público foram"Encarnação do Demônio", do Mojica, que tb abarrotou o auditório, e "FelizNatal", do Selton Mello).Os outros concorrentes (maratona de três programas por noite, uma de curtas + dois longas) tiveram de 200 a 400 espectadores cada.

ANNIBAL REQUIÃO -- Voltando a Roberto Requião, o governador e patrocinadordo Festival e da Escola CINETVPR. Primeiro, um registro. O pioneiro docinema paranaense, Annibal Requião (1875-1929) é tio-avô do atualgovernador. Já acompanhei -- como repórter -- dois governadores que deramapoio significativo ao cinema: Joaquim Roriz, no DF, na época do Poló deCinema (começo dos anos 90), e Tasso Jereissati (no Ceará, meados dos anos90). Estive em solenidades e entrevistas com eles. Mas nunca os vi assitindoa um filme. Pois Requião assistiu aos dois curtas e ficou para o longa doEryk Rocha (Pachamama). E, dias depois, voltou para assistir -- inteiro --ao alucinado "Encarnação do Demônio", de Mojica.

SEM FOCO -- O governador Requião recebeu os participantes do Festival paradois almoços. Um, no centro administrativo do Estado, outro em sua casa decampo (onde ele cria javalis). No primeiro, nós, integrantes do júri, nossentamos à mesa com ele (mais Frei Betto, um dos oficineiros do Festival). Primeiro, Requião disse que não fez cinema na juventude, quando tinha taldesejo, por não ter dinheiro nem equipamento. Que hoje, tem muitoequipamento na TV Educativa PR e na Escola CineTVPR, mas não tem mais tempo,nem ânimo para tal. Falou rapidamente sobre o tio-avô, Annibal Requião,lembrou sua amizade com Sérgio Bianchi e... EMITIU opinião sobre "Pachamama" (que aliás contou com apoio da TV Educ. PR). Eis, resumidamente o que eledisse: "o filme do Eryk tem partes muito boas. A da Bolívia é a melhor. Mastem umas partes que não têm foco, nenhum foco" (ele se referia aos instantesde VIDEO-ARTE do filme, quando a câmara percorre capinzais e paisagens...). No segundo almoço, não me sentei à mesa, pois Mojica, seu produtor PauloSacramento e atrizes, concorrentes ao robusto prêmio de melhor filme (80mil) e melhor direção (110 mil), estavam lá. Não reencontrei o governadorpara saber o que ele achou de "Encarnação do Demônio". Fiz questão de contarestas coisas todas, pois não é todo dia que encontramos um governador que vêfilmes brasileiros e.. mais... emite opiniões sobre eles. POR fim, lembroque, no artigo sobre FESTIVAIS que escreveu para o JB, Barretão registrou: "Nós, produtores, entendemos que festivais como Gramado, BSB, Recife,Fortaleza, Natal, Manaus e, agora, CURITIBA, onde o Governo instalou umprocesso de desenvolv. cinematográfico, podem servir de padrões para osdemais festivais". (...)

ESCOLA, FESTIVAL, EDITAL -- Em que consiste este PROCESSO destacado porBarretão? Consiste numa escola (a CineTVPR), num festival (que chegou a seuterceiro ano) e num Edital de Produção, que já premiou "Corpos Celestes(2006), Estômago (2007) e que está aberto para premiar mais um longa equatro telefilmes.

CINEMA DE RUA -- Ittala Nandi me disse que levaria, ao governador, propostapara resgatar um cinema de rua de Curitiba, muito grande, de forma que -- apartir de 2009 -- ele sedie o Festival. As sessões abarrotadas da sexta e dosábado mostraram que o Auditório do MON, com seus quase 400 lugares, setornou pequeno para o alcance do evento. Resta saber se o ProjetoCinematográfico do PR (elaborado pela gestão Requião, governador járeeleito) sobreviverá com seu sucessor (a ser eleito em 2.010).

PREMIO ANNIBAL REQUIÃO - O Festival criou o Prêmio Annibal Requião (tema dedissertação de mestrado de minha colega de júri, Solange Stecz) parahomenagear cineastas paraenses que projetam o Estado fora de suas fronteirassulistas. Ano passado, o laureado foi Marcos "Estômago" Jorge. Este ano, foio londrinense Rodrigo Grotta, diretor de "Satori Uso" e "Booker Pittman".

DEBATES, MOSTRAS E OFICINAS -- Acompanhei o máximo de debates que pude. ComFernando Severo de moderador, o FEST PR ganha em qualidade. O rapaz é muitopreparado e fez/faz excelente trabalho. Registro um pequeno senão: comdebate de três ou quatro curtas, mais dois longas (havia mesas com até dezpessoas, somando diretores, atores e técnicos) sobra pouco tempo paraperguntas (da platéia) mais elaboradas. O ideal seria colocar os curtas às10h00. E os longas, às onze (da manhã). Renderia mais. Mesmo assim, ClaudioValentinetti saiu entusiasmadíssimo do debate de Selton Mello. Que estavamesmo em uma manhã ILUMINADA, inteligente, corajoso e... o "sal da terra" --segundo Zanin -- cheio/pleno de HUMOR.

CURADORIA -- Ittala Nandi precisa, com urgência, apurar o conceito e alcancedo Festival: se ele continuar com o pomposo nome (gramadiano, por sinal) deFestival do Paraná de Cinema Brasileiro e Latino, mais países terão que serconvocados (além dos hispano-americanos: franceses, italianos, espanhóis,portugueses, etc). Este ano, foram 8 brasileiros e três argentinos. Ou setorna um festival Brasil versus Argentina (com 5 concorrentes de cada lado),ou Latino-Americano (com Venezuela, Cuba, Peru, Arg., Chile, etc), ou LATINO(aí, o alcance é bem maior). A Jornada da Bahia também vem enfrentando esteproblema. Define-se como Internacional, mas não tem ido além do mundoibérico. Portanto, só fala duas línguas (espanhol e português). O recorte"Internacional" implica em filmes de 4 ou 5 continentes e em dezenas depaíses e idiomas.

CINEMA QUE PENSA - Eryk Rocha e Paula Gaitán levaram para o Fest PR oprojeto "Cinema Que Pensa", nascido no Rio (e que já viajou por Havana eSalvador). Já são 8 edições. Alunos da CineTVPR assistiram, com interesse,aos debates (principalmente aos vespertinos). E viram filmes como "OsHabitantes" (do grande armênio Pelechian) e Café Arabica (magnífico"noticiero icaic", prova de que obra de encomenda pode gerar cinema damelhor qualidade)...

MACALÉ -- Entre os premiados do Fest PR aparece --como ator -- JardsMacalé. Ele (que foi ator de NPSantos no Amuleto e em Tenda) está nodelicioso curta "Tira os Óculos e Recolhe o Homem", de André Sampaio, filhode Severino Dadá. Que desta vez acertou a mão em cheio. O filme éencantador!!! Me lembro que, alguns anos atrás, no CineCeará, fiquei loucapara ver um filme do André (Sampaio) sobre a polêmica entre Noel & WilsonBatista. Mas o filme me decepcionou profundamente. Desta vez, porém, elematou a pau. Acertou em cheio. Gostei muito do filme. É metalinguístico,sim, mas tudo é orgânico, amoroso... (Como "Alphaville d. C", do PaulinhoCaruso). Agora estou louca para ver o filme que ele fez com Luiz Paulino dosSantos, chamado "Estafeta" (e exibido na Jornada da Bahia).

CANAL BRASIL -- Adorei o anúncio novo do Canal Brasil, mostrado no FESTPARANÁ 2008, com MOJICA-Zé do Caixão + ZEU BRITO + PAULO MOSKA+ PERÉIO & com Lázaro Ramos na TV (dialongando com o público). Com ótimamúsica, bom humor, serenidade e sem a histeria (e esterilidade) do anúncioapresentado em Gramado 2008.Isto (ESTE) sim, é gostoso deOUVIR-VER. Eles -- os 5 apresentam programas no Canal 66 -- cantando e sedirigindo ao público:Mojica ameaçando-rogando praga, e Peréio ironizando com seu tradicional"cinismo"...Por falar em PEREIO, vejam o que Selton contou no debate (DE FELIZ NATAL),em CURITIBA: Em pauta estavam as dificuldades de se dirigir BICHO (Selton faz a vozde um GATO em "7 VIDAS", curta de Mousinho & Marcelo Splomberg???.... )... SELTON CONTOU: "Walter Carvalho diz que com criança, bicho e PAULO CESAR PEREIO há que seter PACIÊNCIA..."O auditório quase veio abaixo de tanto rir. Por falar em SELTON, ele estava afiado no DEBATE.O italiano-e-brasileiro Claudio Valentinetti, que estava participando dos debates no FEST PARANÁ (ele cuidou da Mostra DINO RISI) achou/avaliou que o debate de FELIZ NATAL foi o "melhor de todos".O FEST PARANÁ tem um moderador de ponta: Fernando Severo, cineasta eprofessor da CineTVPR (Escola Sul-Americana de Cinema e TV do Paraná). Ele émuito culto, entende muito de cinema e é muito bem informado. Deu um show. Como eu estava no júri, tive que PERDER dois debates: os de Mistéryos (filme paranaense) e "Encarnação do Demônio", do Mojica. Mas fuiaos outros debates e fiz perguntas, sem emitir opinião (claro!). Sou comoWalter Carvalho: quanto mais DEBATERMOS os filmes, melhor!!!

Festival do Paranáde Cinema Brasileiro & Argentino

30.9.08

Díinamo, Núcleo de Cinema Botocudo

convida para, nesta quarta, 1º de outubro, no Paralelo, assistir e discutir:

A VINGANÇA DO PIPOQUEIRO” 2005. Digital, 12 min. Direção: MARIANA SANCHEZ E DEMIAN GARCIA - "A Vingança do Pipoqueiro" investiga as origens dessa expressão popular tão difundida, embora pouco assimilada. Seriam os pipoqueiros realmente vingativos? Ou ainda, você acredita que o tiozinho que vende pipocas em frente ao colégio é mesmo flor-que-se-cheire? Com 12 minutos de duração, o documentário reúne histórias de vingança contadas por pipoqueiros tradicionais da cidade de Curitiba, além do revelador depoimento de um especialista em Lingüística, Sr. Benavides Bevilaqua.


E exibiremos um filme de DIEGO GOZZE, selecionado para diversos festivais no Brasil e no exterior.

UM RIDÍCULO EM AMSTERDÃ - Curta-metragem de ficção com duração de 13 minutos. Ao realizar um documentário, um jovem cineasta resolve gravar escondido a fim de obter maior espontaneidade de seu protagonista. Descoberta a artimanha, o protagonista investe contra o diretor na tentativa de destruir o material gravado e acabar com o filme. No entanto, por conta do desejo de se tornar artista de cinema e televisão, o protagonista termina aceitando a exposição de sua intimidade.


O filme recebeu críticas em diversas revistas de cinema, abaixo trechos de algumas delas.

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

DÍINAMO núcleo de cinema reúne-se todas as quartas-feiras para discutir estética e produção cinematográfica.

http://umridiculoemamsterdam.blogspot.com/

“Temos em Um Ridículo em Amsterdã uma profícua discussão sobre o conflito ético entre documentarista e o documentado. As relações de poder e as manipulações de fala por que passa o documentado que cede sua própria história para apreciação geral. Diego Gozze nos leva a conclusão de que há um custo para aqueles que desejam existir enquanto documento de exibição pública. E que não adianta ao documentado insistir em ter sua própria, mesmo ela sendo verdadeiramente dele, verdade, pois a imagem sobre ele do diretor do documentário é que prevalece. A partir do momento que é se torna cobaia, o documentado perde sua própria realidade que se converte em ficção.”
Fernando de Albuquerque
Revista O Grito! – www.revistaogrito.com
05.05.2008


“Apesar do humor, o filme se torna cada vez mais duro na humilhação do personagem e na demonstração de mau uso que se faz da fragilidade dos sujeitos que aparecem na tela. A vulnerabilidade, não só deste personagem como a de muitas pessoas que cedem sua imagem a um filme, se encontra no que diz respeito a aceitar participar de uma filmagem tendo como motivação secreta um certo sonho de aparecer e ter fama – desejo de visibilidade e reconhecimento existente no imaginário humano. Diante das lentes apontadas para si, o Ridículo tenta o máximo que pode esconder sua sujeira e bagunça – as fragilidades de sua personalidade - enquanto é descortinado por uma câmera invasiva.”
Mariana Souto
Filmes Polvo – www.filmespolvo.com.br
25.01.2008


“Temos uma subversão ética cara à relação entre documentarista e documentado, com as relações de poder e a manipulação implicadas, mas também com a subserviência em nome de publicidade do “documentado”, que, apesar de tratado claramente como vítima do diretor (interpretado pelo diretor Diego Gozze), insiste em estar diante da câmera. Há um custo-imagem para quem deseja existir na imagem e, apesar de seus efeitos, o protagonista insiste em ter a “sua própria”, mesmo sendo a “sua” na verdade a imagem sobre ele do diretor do documentário.”
Cléber Eduardo
Revista Cinética – www.revistacinetica.com.br
Novembro de 2007



23.9.08

Díinamo, Núcleo de Cinema, Filomenas e Tatus

convida para, nesta quarta, 24 de setembro, no Paralelo, assistir e discutir:


De BETO CARMINATTI – “SERPENTE NEGRA” – Doc. 30’ – 1985 – Através dos grafites nas prisões, mergulhamos na vida dos encarceirados.

E a mostra “ARTE BICICLETA MOBILIDADE”, com os filmes:

em cinco segundos” -15min
direção :tales banzai

saia da bolha” - 5 min
direção bruno machado- mitelesutele

mobilidade” - 5min
direção bruno machado- mitelesutele

menos shopping mais ciclovia!” 5 min
direção bruno machado- mitelesutele


p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

16.9.08

Díinamo, Núcleo de Cinema Anti-pulgas

convida para, nesta quarta, 17 de setembro, no Paralelo, assistir e discutir cinco filmes em Super 8 de grandes diretores curitibanos:


De FERNANDO SEVERO – “ESCURA MARAVILHA” – Super 8 de 1979 - 9’ – uma reflexão sobre a morte que mistura o Cemitério Municipal de Curitiba com musicais da Metro.

De PEDRO MEREGE – “ESMARTEZA” – Super 8 de 2008 – 7’ - Uma cidade violenta, a astúcia de um novo delegado desarma todos os bandidos num só golpe. E “MORFEU E MINERVA” – Super 8 de 1980 – Dir. de Pedro Merege e Eduardo Gomes - A história de um casamento.

E de HUGO MENGARELLI – “O MÁGICO” Super 8 de 1979 – 32’ - Baseado num conto de Regina Benitez, o filme foi realizado pelos alunos de Comunicação Social da PUC, em 1979. O filme conta a história de uma pequena cidade onde políticos locais resolvem contratar um mágico para entreter a população, mas quem aparece é um homem que faz milagres. No elenco nomes importantes do teatro paranaense como Antonio Carlos Kraide, José Maria Santos, Aluísio Cherubim e Luiz Mello, esse em seu primeiro trabalho no cinema.

Assistiremos ainda "Uma idéia na mão e uma câmera na cabeça". Direção coletiva. 16' - O filme é um making off bem humorado do "Mágico".


p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

DÍINAMO núcleo de cinema reúne-se todas as quartas-feiras para discutir estética e produção cinematográfica.

10.9.08

Big-Bang e Super 8

Por precaução, nao haverá Díinamo nesta quarta, dia 10/09/08, pois será feito o teste que recriará o Big-Bang (da ficção cinetifica, nao do farveste) e talvez o mundo todo vá pelos ares.

Caso o mundo nao acabe durante esta noite e você não acorde morto, pode fazer a Oficina de Super 8 ministrada pelo Leandro Bossy e Pedro Merege, neste final de semana (13 e 14/09), com patrocínio da CAIXA. São apenas dez vagas, os interessados devem encaminhar currículo para perfil@matrix.com.br até, no máximo, quinta-feira dia 11.

Na outra quarta-feira, dia 17 de setembro, o Díinamo estará de volta com força total!

1.9.08

Díinamo, Núcleo de Cinema e Taxidrivers Taxidermistas

está completando um ano de existência e convida para, nesta quarta, 03 de setembro, no Paralelo, assistir e discutir:

De JULIANA SANSON DE OLIVIERA – “Fabulário Geral de um Delírio Curitibano” – Ficção - 16’ – Mulher acorda com uma frase que se repete obsessivamente em sua cabeça e, angustiada, decide sair de casa e se distrair. Num esforço de se livrar da tal frase, faz reflexões que deixam transparecer, além do seu estado de espírito, algumas características da cidade em que vive.

E

Do BANZAI STUDIO – dois curtas imperdíveis: “HOMBRE” e “A VÁLVULA” – O primeiro tem 7’ e foi dirigido por Thales, Luan e Fernando Banzai, o segundo, com 10’, foi dirigido por Thales Banzai.

Vale a pena conhecer o trabalho e saber o que pensam estes jovens talentos curitibanos.

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

26.8.08

Díinamo, Núcleo de Cinema e Anticlismos

convida para, nesta quarta, 27 de agosto, no Paralelo, assistir e discutir:

“OLHARES do povo Curitibano sobre a sua cidade” – de Andréia Kaláboa - O documentário faz um diagnostico investigativo da cidade de Curitiba através de olhares representados em imagens e depoimentos de pessoas que vivem ou interagem com a cidade.

E

NORTE SUL LESTE OESTE – de Danilo Pschera – O documentário acompanha seis moradores de Curitiba e registra a relação destas pessoas com a cidade durante o caminho até o trabalho ou a volta para casa.

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

E continuamos com as inscrições para o FUTEBA DO DÍINAMO. Reiterando as regras básicas para participar da peleja cinematográfica:

É PROIBIDO
– Chutar a bola de bico, usar travas de metal e pegar a bola com as mãos.

É PERMITIDO (e, inclusive, recomendado) – Utilizar caneleiras.

As inscrições podem ser feitas na reunião desta quarta feira, ou por email, bastando informar nome, idade, posição e tipo sanguíneo.



foto de Norte Sul Leste Oeste

23.8.08

Clubes de Cinema

por Rafael Urban, na Folha de Londrina.



Esse garoto vai longe...

19.8.08

Díinamo, Núcleo de Cinema e Futebol e Carnaval

convida para, nesta quarta, 20 de agosto, no Paralelo, assistir e discutir:

A CARTA – Animação - 3’5’’ – Direção de João Francisco Paes - trata de pequenos gestos demonstrados em uma singela e delicada amizade.
E mesmo diante de uma situação limite, revela-se perene e forte, com considerações que vão alem das relações humanas.

AZUL – Animação – 4’22’’ – Direção de João Francisco Paes - Uma auto reflexão sobre diferentes ângulos, ande o sentimento de fugacidade da vida humana se transforma em minutos de observação sobre um ponto diferente para muitos de nós, mas que não nos escapa a um acaso comum.

E

HELENA DE CURITIBA – Documentário – 31’- Direção de Josina Melo
Trata-se de um áudio visual que utiliza técnicas documentais e ficcionais para contar de forma poética a história e vida e obra da poetisa paranaense: Helena Kolody. São depoimentos de Helena, que foi professora no Instituto de Educação do Paraná, com cenas ficcionais retratando sua infância, adolescência e maturidade. Há no contexto do documentário belas imagens da natureza paranaense, da memória da imigração ucraniana e aspectos da cidade de Curitiba e de outros municípios, entrecortadas por poemas recitados pela poetisa, legendados, ou ainda falados pela narradora, a atriz paranaense Cristiane Macedo.

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

Aproveitamos para informar que já foram definidas as regras para o FUTEBA DO DÍINAMO. E são elas:

É PROIBIDO – Chutar a bola de bico, usar travas de metal e pegar a bola com as mãos.
É PERMITIDO (e, inclusive, recomendado) – Utilizar caneleiras.
As inscrições podem ser feitas na reunião desta quarta feira, ou por email, bastando informar nome, idade, posição e tipo sanguíneo.


foto de Helena Kolody

18.8.08

Balanço Geral de Gramado - O Festival

Cheguei de Gramado domingo e, desde então, o mundo nao parou de girar. Tenho sem número de notícias, apontamentos e percepções pra repartir. No momento, me limitarei a comentar, de forma bem bairrista, sobre os filmes paranaenses.

Na Mostra de Super 8, da qual participaram quatro paranaenses, três voltaram com troféus.

Josiane Orvatich recebeu o prêmio de Diretora Estreante - por "Ermos Argênteos".

Fabio Allon recebeu o prêmio de Direção de Arte - por "Esmarteza", de Pedro Merege.

e

Leandro Bossi recebeu o prêmio de Melhor Trilha Sonora por "Artefatos".

O grande vencedor do Festival de Super 8 que acontece paralelamente ao Festival de Gramado foi o filme gaúcho "Edificio Sinai".

No Festival de Cinema Digital, que acontece também paralelamente ao Festival principal, dois vídeos paranaenses sairam vencedores.

Thalita Uba recebeu por "Absolutamente Anselmo" o Prêmio de Melhor Documentário na categoria Vídeo Universitário Brasileiro.

Aly Muritiba recebeu o prêmio de melhor Ficção na categoria Vídeo Independente Brasileiro por "Com as Próprias Mãos".

No Festival oficial, em bitola de 35mm, o filme paranaense de melhor campanha foi "Booker Pittman", do londrinense Rodrigo Grota, que recebeu três prêmios: Prêmio Especial do Juri, Melhor Música e ainda o Prêmio da Crítica. No debate que aconteceu no dia seguinta a apresentação do curta, Grota foi bastante elogiado pela crítica especializada e revelou que está em pré-produção de um longa sobre Pittman.

O único filme curitibano na competitiva oficial do Festival de gramado foi "Osório", filme bem fotografado, porém sem história alguma, assinado por Heloísa Passos, que merecidamente nao ganhou nenhum prêmio. A diretora, no entanto, recebeu por "Areia" o prêmio de Melhor Fotografia entre os curtas em 35mm.

Parabéns aos premiados!

Em breve publicarei outras impressões sobre o que vi no 36º Festival de Cinema de Gramado - deixa só o mundo desacelerar um segundo...

12.8.08

Díinamo em Gramado

Prezados,

Eu, Josiane, Merege e Leandro estamos passando frio aqui em Gramado, um horror! Vim trazer o Piá de Prédio passear.

Portanto, não haverá Díinamo nesta quarta, ou melhor, haverá, aqui em Gramado, e o filme será Pachamama!

Quem puder vir, venha!!

Abraços, e até a próxima quarta!

Terence.

10.8.08

“Na Fronteira Entre Literatura e Cinema”

a Processo Multiartes e a Editora Medusa lançam na próxima terça o Livro/DVD [cancha 2], de Adriano Esturilho, que transita entre a literatura e o cinema e traz um DVD em anexo.


Conhecida por sua atuação no teatro de pesquisa e na literatura, a Processo Multiartes agora consolida sua entrada na produção cinematográfica a partir da formação de seu braço cinematográfico - a PROCESSO FILMES, que em 2007 estreou com o média “CAFÉ DO TEATRO”. O braço cinematográfico do grupo agora conta com os jovens realizadores Fábio Allon (que lançou recentemente o curta “NÓS”) e Bruno de Oliveira (que dirigiu também recentemente o curta “OS DIAS CINZAS”). O projeto cinema e literatura [cancha2] traz um livro com 25 contos do diretor e escritor Adriano Esturilho mais um DVD com 10 adaptações cinematográficas dos textos, diridas por 8 realizadores do cinema no Paraná, como Eduardo Baggio e Henrique Faria, além dos integrantes da Processo Filmes e do próprio autor.

Serviço
[Cancha 2] – cantigas para perverter juvenis,


Contos de Adriano Esturilho
Curtas de Bruno de Oliveira, Fábio Allon, Adriano Esturilho, Bia Dantas, Eduardo Baggio, Henrique Faria, Rodrigo Belato e Sérgio Velloso.


Dia 12 de agosto na Biblioteca Pública do Paraná (2o andar)
Lançamento do livro a partir das 18 horas.
Exibição dos curta-metragens às 19 horas, seguidos de um bate-papo com os realizadores e sessão de autógrafos.

5.8.08

Díinamo, Núcleo de Cinema e Sambiquiras

convida para, nesta quarta, 06 de agosto, no Paralelo, assistir e discutir:

PAIOL – doc. 15’ – 2008. Direção de João Marcelo Gomes - O que resultou da transformação de um antigo paiol de pólvora em teatro? Que artistas já passaram por ali e que histórias estão guardadas neste lugar? Qual a importância do teatro paiol hoje? Pessoas que tiveram as mais diversas relações com este espaço, como o músico João Bosco, o arquiteto Jaime Lerner e o historiador Marcos Napolitano trazem luz a estas questões através de seus relatos.

CUIDADO FRÁGIL – ficção, 8’ Direção de Luis Carlos Santos e Carlos Debiasi. Marcos e Ângela encontram-se por acaso em um apartamento vazio. Jáforam casados, agora não mais. Ângela acredita que um dia o
apartamento possa ser ocupado de novo. Marcos está com a vida ocupada
de outra maneira, com outra pessoa. Cuidado Frágil é um breve filme
que fala de um breve não-encontro e da tão difícil comunicação entre as pessoas.

PACAU – ficção, 6’ (2007) – Direção de Luis Carlos Santos e Carlos Rocha. - Um matador, uma proposta, um assassinato que não pode ser adiado. Assim, na lógica de um matador profissional, uma vez o serviço pago, não há mais volta, e o peso da morte pode muito bem custar a própria vida. Filme com Marcio Vito, ator que viveu o Barão de Itararé na peça "A sobrancelha é o bigode do olho" e participou dos filmes "Meu nome não é Johnny" e "A ostra e o Vento".

p a r a l e l o
: centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

29.7.08

Díinamo, Núcleo de Cinema e Clínica de Estética

convida para, nesta quarta, 30 de julho, no Paralelo, assistir e discutir sobre:

"Ser Mulher", documentário, 50 minutos

Realizado pelos alunos da Oficina de Vídeo do Projeto Olho Vivo: Ana Paula Cardoso, Andrea Mayumi Maciel, Claudia Amorim, Cris Parica, Cristina Pato, Cristina Rocha, Hévellin Braga, Letícia Leite,  Cristiane Oliveira, Alexandre Longo, Ed Canedo e Eduardo Azevedo.

Coordenação: Luciano Coelho

Sinopse: Nascidas meninos, mas se sentindo meninas, quatro transexuais contam histórias de suas vidas e as experiências e expectativas quanto à cirurgia de adequação sexual.

Menção Honrosa no 14° Vitória Cine Vídeo
Menção Honrosa no FEMINA 2008 - Festival Internacional de Cinema Feminino

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR 
 
20 HORAS!!!


28.7.08

Cinco Frações

Cristiane Moreau nos indica:




No Novo Batel.

27.7.08

JULIETTE OO1 Terça-feira 29/07

Lançamento JULIETTE 001 no SOLAR DO ROSÁRIO, terça-feira, 29/07, às 20h

O evento deste mês será realizado com exibição de curtas do documentarista paraibano VLADIMIR CARVALHO, o entrevistado da edição por Rafael Urban, com debate mediado pela jornalista Sandra Nodari. Contaremos também com a presença de Rui Vezzaro para contextualizar o debate fílmico em Curitiba nos anos 1970, com o surgimento da cinemateca e das revistas de cinema editadas pela Fundação Cultural, TELA e TECA, cujo histórico está publicado nesta JULIETTE em matéria de Josiane Orvatich.

A edição ainda traz artigos de Alexandre Garcia, João Krefer, Nikola Matevski e Rodrigo Bouillet que percorrem universos cinematográficos bastante diversos, indo do clássico formalista ao clássico marginal com Stan Brakhage e Zé do Caixão, da animação blockbuster ao político arrojado com Kung Fu Panda e Michael Moore.

JULIETTE é realizada de maneira independente e para a sua produção conta com o apoio da GP7 Cinema e Atores e da Jaguadarte Filmes.

Serviço
Lançamento da revista de cinema JULIETTE 001
No Solar do Rosário, Rua Duque de Caxias, 04, Largo da Ordem, Curitiba, PR
Terça-feira, dia 29/07, às 20h
Mais informações pelo e-mail revistajuliette@terra.com.br

22.7.08

Díinamo, Núcleo de Cinema do Kombão Desgovernado

convida para, nesta quarta, 23 de julho, no Paralelo:

De Bernardo Rocha: “O MOINHO DE GALATEA”.

E de Guilherme Biglia: "A MALDIÇÃO DA JOSÉ CADILHE" e "O CONDUTOR".

(sinopses abaixo)

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!


As sinopses:

O Moinho de Galatea” - Faz muito calor. O executivo está em seu escritório, rodeado de relatórios, planilhas e horários a cumprir. Inesperadamente sua secretária lhe presenteia com um estranho objeto, uma obra de arte, que ela diz chamar-se Moinho de Galatea. Sem dar atenção a elas, secretária e escultura, o executivo segue rumo a sua exaustiva jornada de trabalho. Porém, de alguma forma, a combinação entre sua doentia fixação pelo trabalho, a escultura e o calor infernal, são o estopim para grandes mudanças.
Seus sentidos são alterados, o mundo não é mais como ele percebia, a lógica, a razão, nada mais faz sentido. Os conflitos assumem novas roupagens, as ações, atitudes e relações sociais lhe parecem claras e ao mesmo tempo assustadoras em mundo repleto de simbolismos e signos. Ele não pode falar isto com ninguém, as vozes das pessoas agora soam como melodias de instrumentos musicais, e ele não conseguirá resolver
nenhum de seus novos conflitos até descobrir sua própria voz.

A luta travada por nosso herói entre suas ações racionais e sua necessidade de libertação deste mundo factível e enfadonho, é mostrada através de uma linguagem que explora ao longo do filme a interação dos diversos meios que compõem uma obra audiovisual. Para alcançar tal resultado O Moinho de Galatea reveste-se com efeitos de luz e cores, trabalhando com a constante metamorfose dos cenários e personagens, transformando estes, em objetos atuantes, carregados de valores e significados. Ao discursarem seus personagens não falam palavras, mas sim, música, sons e ruídos, ampliando a sensibilidade e o foco do filme inicialmente baseado na estrutura lógica convencional.

"A Maldição da José Cadilhe" (2005) - Por motivos obscuros, Claudio vai parar na rua José Cadilhe. Depois de um sem-número de infortúnios, ele se dá conta de que não consegue sair da maldita rua.

"O Condutor" (2007) - O entediado Mauro é encarregado de transportar seis loucos de um hospício a outro. No decorrer de inusitadas circunstâncias, percebe-se que Mauro não difere em nada de seus companheiros de viagem.


foto de "O Condutor"

15.7.08

Díinamo, Núcleo de Cinema, Kadetes e Catetos

convida para, nesta quarta, 16 de julho, no Paralelo:

De Tom Lisboa:

PALIMPSESTOS
A palavra “palimpsesto” deriva do grego pálin (novamente) e psestos (raspado, apagado) e faz referência a uma página manuscrita ou
livro cujo conteúdo foi apagado (mediante lavagem ou raspagem) e escrito novamente. Palimpsestos é um exercício videográfico que
propõe uma sobreposição e supressão contínua de textos visuais e escritos. Ficam então as perguntas: a imagem recria o texto ou é
o texto que redefine a imagem? Qual a função do texto? Qual a autonomia da imagem?




e de Wellington SariLAVANDERIA SHERMER, vídeo premiado no PUTZ V, produzido pela Alumiar Filmes, uma produtora nascida dentro da CINETVPR, que apesar de sua recente criação, já se tornou uma das mais profícuas e eficientes produtoras de Curitiba.



p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

9.7.08

Núcleo de Cinema e Aviões em Nova York

convida para, hoje, 09 de julho, assistir aos curtas-metragens de GERALDO PIOLI

"ALDEIA", "DEVOÇÃO" E "O TEMPLO DAS MUSAS".

20 Horas

1.7.08

Díinamo, Núcleo de Cinema, Pentes, Rochas e Palitos

Você está intimado à comparecer nesta quarta-feira, 02 de julho de 2008, no Paralelo – Centro de Artes Visuais, para proceder o devido alistamento no batalhão do Díinamo, Núcleo de Cinema, Pentes, Rochas e Palitos, e entrinchirar-se conosco na GUERRA DO PENTE.

Serão exibidos dois trabalhos, um média-metragem de Nivaldo Lopes, o Palito, intitulado “A Guerra do Pente – O Dia em que Curitiba Explodiu” de 1986;

E outro de Bernardo Rocha, um curta-metragem de 10 minutos intitulado “A Guerra do Pente”, que foi premiado no 3º PUTZ, em 2006, na categoria Documentário.

Segue abaixo um breve histórico do perrengue para que você compareça armado das noções básicas de artilharia para esta batalha que fez TREMMER a cidade de Curitiba no final dos anos 50.

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

Jogue você também uma pedra em um turco!

O FATO

Era uma tranqüila tarde de 8 dezembro, em 1959, quando o subtenente da polícia militar, Aroldo Tavares, entra em um Bazar na praça Tira Dentes e resolve comprar um pente. Mesmo achando caro, ele compra, e pede uma nota fiscal (incentivado por uma campanha governamental da época que dizia “seu talão vale um milhão”), o turco, dono do bazar pede para sua auxiliar fazer a nota para ele, e com isto ocorre um mal entendido entre os dois que terminam brigando. Acontece que dois amigos vão ajudar o Turco, e o Subtenente acaba quebrando a perna na briga. As pessoas que estão passando em frente da loja começam a entrar na discussão, e se revoltam de tal forma que começam a quebrar a loja, o auê cresce descontroladamente, e a população sem saber mais qual o motivo da discussão, estende o quebra-quebra para as demais lojas do centro da cidade ( Rua XV, Marechal Floriano Peixoto, Marechal Deodoro, Praça Osório e Rui Barbosa). Lojas e galerias são saqueadas e quebradas com paus e pedras, sobrando até para os carrinhos de pipoca. A confusão só se apazigua três dias depois com a intervenção do Batalhão de Choques e Exército portando até tanque de guerra, fazendo cerco sobre o centro da cidade.

24.6.08

Díinamo 25 de junho

DÍINAMO, Núcleo de Cinema e Panquecas Verdes Voadoras convida para,

amanhã, 25 de junho, na CINEMATECA, às 19 horas:

CICLO DE DEBATES - DOCUMENTÁRIO EM FOCO


com palestra de João Batista de Andrade e exibição do filme "Liberdade de Imprensa".

O evento:
Em 2008 o Ciclo de debates terá quatro edições, todas discutindo aspectos do documentário brasileiro.
A abertura do Ciclo traz à Curitiba o filme que marcou a estréia de João Batista de Andrade como diretor . O filme, restaurado pela Cinemateca Brasileira é uma obra de referência do documentário brasileiro. O documentário parte da Lei de Imprensa , promulgada em 1967 e que estabelecia oficialmente a censura, para discutir a ditadura militar. Produzido pelo movimento estudantil (Jornal Amanhã, da União Nacional dos Estudantes, e o Grêmio da Faculdade de Filosofia da USP), o filme tinha previsão de estréia no 30º congresso da UNE de Ibiúna, em 1968. Apreendido pela polícia, o filme teve poucas exibições e agora, volta ao público mostrando um discurso ainda atual sobre o autoritarismo e os meios de comunicação. Sua linguagem original rompia com o documentário clássico dos anos 60, através de interferências do cineasta que mais tarde seriam denominadas "dramaturgia da intervenção", técnica usada em outros trabalhos do cineasta na televisão( TV Cultura e Globo Repórter, da TV Globo). A curadoria é da jornalista e professora Solange Stecz.

20.6.08

JULIETTE

A revista JULIETTE já está à venda na LIVRARIA ARTE E LETRA, localizada no LUCCA Cafés Especias, alameda Pres. Taunay, 40, Batel.

Os interessados em adquiri-la sem morar em Curitiba, favor solicitar pelo email revistajuliette@terra.com.br que providenciaremos o envio.

Para contribuições como articulista da revista envie um curriculum e proposta temática para o mesmo email: revistajuliette@terra.com.br

Merci,
josiane

19.6.08

Curitiba ganha sua primeira revista de cinema

Gazeta do Povo
Cultura G
Publicado em 19 de junho de 2008

A primeira edição de uma revista sobre cinema feita em Curitiba será lançada hoje, às 19h30, no Lucca Cafés Especiais (Al. Presidente Taunay, nº 40 – Batel). O nome da publicação é Juliette, em referência a uma perversa e criminosa personagem do Marquês de Sade que deseja representar a força transgressora da arte. A criadora do veículo, Josiane Orvatich, uma das organizadoras do Cineclube Díinamo, deseja que a revista seja “um espaço crítico que venha romper o silêncio que impomos a nós mesmos a respeito do que fazemos: o cinema”.

Na primeira edição (número zero) de Juliette, os colaboradores são Bruno Carmelo, Eduardo Baggio, João Krefer, Pedro Merege e Valmir de Costa, além da própria editora. A pesquisa e a revisão dos textos ficaram a cargo de Rafael Urban e a arte e a diagramação são de Lucía Alvarez.

A publicação conta com o apoio da GP7 Cinema e Atores, que ajudou a viabilizar a produção e o lançamento desta edição inaugural. A primeira edição será vendida na livraria Arte e Letra, que fica dentro do próprio Lucca.

17.6.08

Díinamo, Núcleo de Cinema, Doce de Abóbora e Amendoinzinho

convida para, 18 de junho, no Paralelo, participá do arraiá e assistir aos seguintes curta-metragens (e depois futebol: brasilxargentina):

Os Dias Cinzas, Ficção – 20’ – Direção de Bruno de Oliveira.

Absolutamente Anselmo! - Documentário – 20’ – Direção de Thalita Uba.

E, com Direção de João Krefer:

Filme da Bandeira Etnosocial Brasileira, 1’40”

Três Tratamentos Cinepictóricos Sobre São Francisco Pregando Aos Gaviões E Aos Passarinhos, 1’44”

Exercício No. 8, 14”

Exercício No. 9, 13”

Wandula - Fallen Angels, 3’02”

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

10.6.08

Núcleo de Cinema e Gordura Transviada

convida para, nesta quarta e quinta-feira, dias 11 e 12 de junho às 20h, a Mostra de Filmes Digitais na Cinemateca de Curitiba.

As produções receberam recursos do Fundo Municipal de Cultura e (quase) todos os realizadores são de Curitiba.

Programação:

11 de junho
UM PALCO CURITIBANO, direção de Julius Nunes.15´.
NÓS, direção de Fabio Allon, com Rodrigo Ferrarini. - Ficção. 14´
PERNIL COM QUEIJO VERDE, direção de Kleber Wlader e Eberson Galiotto, com Hélio Barbosa. - Ficção. 12´
BEIJO NA BOCA MALDITA, direção de Yanko Del Pino. 15´.

12 de junho
OS CORDÕES DE LAURA, direção de Mariza Tezelli, com Julyana Spricigo, Edineia Chagas. - Ficção.15´.
CRÔNICAS DA VIDA CIGANA, direção de Sara Araújo. 15´.
FABULÁRIO GERAL DE UM DELÍRIO CURITIBANO, direção de Juliana Sanson, com Patrícia Saravy, Andréia de Souza, Vinícius Mazzon, José Ronaldo Ribeiro, Joni Zanetti, Bárbara Horn. 15´.
OLHARES, direção de Andréia Kaláboa. - Documentário. 16´.

Data: dias 11 e 12 de junho, às 20h
Local: Cinemateca de Curitiba
Entrada franca.

8.6.08

Anotações Paralelas - Sonhando com Fósforos

Finalmente conseguimos trazer o ensaboado poeta e cineasta Beto Carminatti para delirar conosco. Beto nos brindou não apenas com seus filmes, mas também com duas garrafas de vinho e algumas pérolas de valor inestimável.

Nicole Lima, que deveria ser investida pela prefeitura como a escrivinhadora oficial das lembranças que deveríamos ter, cumpriu o seu papel e publicou no Zine 07 do Paralelo, o seguinte depoimento:

"Não resisti e anotei algumas coisas soltas que o Beto Carminatti deixou de presente pra nós, além de Delirium Dreams, que eu nunca mais vou esquecer".

Pérolas do Beto (um vulcão adormecido, sonha com o fogo): “A minha obra tem algo irracional, um saber que é anterior a mim. isso não me faz um imbecil. Seria explicar como eu respiro, eu não saberia responder. Tem uma frase do Godard que é perfeita: ‘todos os grandes filmes de ficção tendem ao documentário, como todos os grandes documentários tendem à ficção. (…) E quem opta a fundo por um encontra necessariamente o outro no fim do caminho’. Eu sou muito distraído. Eu tenho consciência social, mas eu não tenho peso de consciência social. Eu não faço cinema pra responder às coisas racionalmente, talvez eu faça porque gosto de mulher. Uma vez perguntarma pro Felini: ‘É verdade que você improvisa o tempo todo?’ e ele respondeu: ‘É, mas antes eu ensaio bastante’. Você deve fazer uma coisa quando deseja fazer, naturalmente. Eu tenho essa humildade, eu domo o meu argentino muito bem. Eu odiaria fazer um filme estúpido, mas filme ruim eu não tenho medo de fazer não. Você tem que ser apaixonado, o filme tem que ser o patrão. Estar num set de filmagem para um diretor é uma solidão magnífica. Você está cercado de pessoas e sabe que está sozinho.”



(foto Nicole Lima)

Maio de 68

Jessica Sato mandou o seguinte recado:

"Venho por meio deste falar de um programa especial que vai acontecer dentro da Mostra Internacional de Curtas em São Paulo. O organizador é um grande amigo meu, Rica Saito, e o programa que está montando visa trazer à tona uma reflexão crítica sobre 'maio de 68' e as questões políticas e sociais que ali estavam colocadas. Eles querem tb atualizar a discussão, não colocar só filmes de época, mas também coisas atuais que de alguma forma dialoguem com aquele momento.

Caso vcs tenham algum curta que se encaixe, ou conheçam alguém que tenha, entrem em contato com ele pelo e-mail: ricasaito@gmail.com."

5.6.08

Díinamo no CINE PINHÃO 07 de junho

Neste sábado, 07 de junho, 23h30, entrevista com Josiane e Terence no Cine Pinhão!

Exibição de "Levo de Alcântara" de Terence Keller.

CINE PINHÃO: Programa sobre cinema paranaense da AVEC em parceria com TV SINAL. Apresentação Guto Pasko.

Canal 16 da Net, 99 da TVA e 21 em UHF.

3.6.08

Díinamo, Núcleo de Cinema e Trocadinhos Infames

convida para, 04 de junho, no Paralelo, assistir aos seguintes curta-metragens de Beto Carminatti:

DELIRIUM DREAM`S
Através do depoimento de alguns rapazes e seus familiares e cenas de um cotidiano in-comun; este documentário mostra um pouco da vida ( o que você quer ser...o que você acha que o teu filho vai ser....) num bairro de Curitiba no fim dos anos 70.


WELCOME TO PARADISE
Misto de documentário e videoclip,( Musica da banda Front 242 que sampleou o discurso de um pastor Americano que é usado ironicamente como narrador deste filme torto ). Mostra de modo contundente e cinico como os meios de comunicação de massa transformam qualquer tema ( se for mondo-cani melhor ) em, carne-espetáculo a ser devorado na arena do circo eletrônico.


ETERNAMENTE
"Cronica de um amor anunciado pela rádio" ...homem solitário, resolve se encontrar com uma mulher que mandou carta para o programa ..." Dê ouvidos para o amor " ...na esperança de começar uma nova vida.

Filme BONUS

Também teremos um filmiSinho extra surpressssssssa que não podemos dizer o nome porque é mistério...


p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

27.5.08

Díinamo recomenda o Putz!

Nesta semana (de 27 a 31), acompanhem o PUTZ!

Rafael Urban nos explica:

"Terça-feira, 27, começa a quinta edição do Putz - o Festival Universitário de Cinema e Vídeo de Curitiba. Na abertura, às 19h30, no Sesc da Esquina, um debate com Marcos Jorge, que apresentará o curta "Infinitamente Maio", que o próprio considera um laboratório para as técnicas posteriormente desenvolvidas em "Estômago". Na quarta-quinta-sexta à noite, também às 19h30, exibição dos 54 curtas em competição, selecionados dentro de um universo de 263 trabalhos enviados de instituições de ensino superior de todo o país, seguida de um debate com os realizadores. A entrada é franca. Nos três dias à tarde, Luiz Carlos Oliveira Jr, editor da Revista Contracampo, dará uma oficina (gratuita) de crítica de cinema na Cinemateca (inscrições no site www.putz.ufpr.br). No sábado à tarde, uma mesa do cinema paranaense composta por Fernando Severo, Ricardo Machado e Rodrigo Grota antecede a premiação. A programação completa está no site http://www.putz.ufpr.br/programacao.html"

Aproveitem, é só uma vez por ano!!

20.5.08

Díinamo, Núcleo de Cinema, Astrolábios e Bordões

convida para, 21 de maio, no Paralelo, assistir aos curta-metragens:

Crônicas da Vida Cigana, documentário, 17 min., 2007 – de Sara Araújo.
Vídeo documentário que retrata a vida de grupos ciganos instalados em acampamentos de Curitiba e região metropolitana no ano de 2007;

Café do Teatro, ficção, 38 min, 2007 – de Adrino Esturilho.
O vídeo será apresentado em sua versão integral, trata-se de uma comédia que parodia a fama, a cidade de Curitiba e sua classe teatral. A primeira dama do teatro paranaense, Lala Schneider, faz uma participação especial no média-metragem interpretando uma versão cômica dela mesma;

e

Chá!!! ou Capota, Mas Não Breca, documentário, 15 min., 2005 – de Ayrton Baptista Junior.
Reunidas no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, as atrizes Isolda Cresta, Maria Lucia Dahl, Maria Regina e Thaís Portinho recordam os agitados anos 60/70, num papo bem humorado sobre passeatas, namorados e personalidades do teatro e do cinema brasileiro.

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

19.5.08

Força independente em Curitiba

Força independente
Iniciativas coletivas e o surgimento de um curso superior de Cinema incrementam a produção curitibana

Publicado em 18/05/2008 | Vinicius Boreki – Gazeta do Povo

Estômago (de Marcos Jorge) e Sal da Terra (de Elói Pires Ferreira) e o documentário Amadores do Futebol (de Eduardo Baggio) abriram com força o ano cinematográfico em Curitiba. O lançamento de três longas-metragens em menos de seis meses e, principalmente, a repercussão positiva – sobretudo de Estômago – desses títulos desafiam o fantasma da invisibilidade, um dos principais obstáculos enfrentados pela produção local.

Infelizmente, os exemplos citados acima ainda são exceções. Os produtores e diretores locais lutam para gravar, finalizar e exibir seus trabalhos. Para superar essas dificuldades, a opção mais recorrente é desenvolver os projetos por meio de iniciativas coletivas, como cooperativas e grupos de cinema. É o caso da Photon Filmes. “Os integrantes se conheceram num curso de pós-graduação em cinema. A partir daí, 25 pessoas se reuniram para produzir O Gralha. Na época, nos animamos tanto que buscamos uma forma jurídica: a cooperativa”, explica Guilherme Greca, que preside a Photon, criada em 2002.

Os projetos desenvolvidos de forma coletiva também surgem como uma tentativa de superar o amadorismo por meio do aprimoramento conjunto dos participantes: “Essas iniciativas buscam profissionalizar a produção”, diz Aly Muritiba, que, ao lado de Diko Florentino, Antônio Junior e André Chesini, criou a Alumiar Filmes há um ano e meio.

Outra forma de tentar produzir é por meio das leis de incentivo municipais, estaduais e federais. “As leis Rouanet e de Mecenato são complicadas. Mas a produção de curtas-metragens por iniciantes foi bastante facilitada pelos editais da Fundação Cultural de Curitiba (FCC)”, diz Terence Keller, organizador do Díinamo (grafado assim mesmo, com dois “is”, o primeiro com acento agudo), cineclube que se reúne às quartas-feiras, sempre com a exibição de novas produções.

“Discutir leis de incentivo é difícil. Tudo depende de um referencial. Se você compara o cenário atual com cinco anos atrás, produzir filmes hoje é mais fácil, até por causa das leis. Mas, se compararmos com o ideal, ainda é muito difícil”, afirma o cineasta Eduardo Baggio, professor da FAP.

Curtas-metragens

Como cinema é uma forma de expressão artística cara, sempre na dependência de recursos financeiros, a realização de curtas-metragens é a mais freqüente. “Como trabalhamos de forma independente, é o mais fácil de se desenvolver. Exige uma produção menor, com menos gastos”, diz Guilherme Greca.

Apesar de realizarem mais curtas, a Photon já gravou um média-metragem, O Gralha + Oilman, e pretende terminar outro, intitulado Insanidade, até o fim deste ano.

FAP

Além do surgimento de vários grupos, a criação do curso superior de Cinema (leia quadro) na Faculdade de Artes do Paraná (FAP) foi fundamental para o meio audiovisual curitibano, aliando o desejo de produzir à possibilidade de aprendizado técnico e teórico sobre o assunto. “Muitas pessoas que fazem cinema com mais de 30 anos gostariam de ter feito – ou mesmo de ainda fazer – essa escola, mas ela não existia. Os alunos vão sair com uma vivência de quatro anos com professores tanto da área mais acadêmica e teórica quanto do meio profissional, gente que conhece bem o mercado. Eu vejo a escola como uma quase transformação do cinema local”, analisa Eduardo Baggio.

Coleguismo

O ramo do cinema é notório pelo “coleguismo”. Explicando: costuma haver intercâmbio entre profissionais nas diversas produções, que se beneficiam de uma espécie de “escambo”. “Em todo o projeto participam pessoas de fora da cooperativa. Sempre existem trocas favores por indicação, necessidade ou vontade”, afirma Guilherme Greca.

Falta de espaço para exibição é problema
Depois de finalizar o filme, o cineasta suspira aliviado com o fim da batalha, certo? Errado. Além da escassez de fontes de recursos, os poucos espaços disponíveis para a exibição dos trabalhos na cidade dificultam o conhecimento do público sobre o que se produz. Pouco a pouco, porém, a perspectiva se transforma com o surgimento de mostras e projetos voltados especificamente para a exibição do que é feito em Curitiba.

É o caso do cineclube Díinamo, que, desde setembro de 2007, acontece às quartas-feiras. Sem local fixo, os participantes visitam o blog do projeto (www.diinamo.blogspot.com) para saber onde ocorrerá o próximo encontro. “Os realizadores tomam conhecimento de outros realizadores. A partir daí, as pessoas se ajudam melhor, especialmente quando contam com orçamentos baixos”, avalia o organizador do projeto, Terence Keller. Após mostrar entre três e quatro filmes por semana, o Díinamo promove discussões sobre o fazer cinematográfico.

Reservado para a última quarta-feira de todo o mês, o projeto MeMostra reúne filmes de temáticas semelhantes, que serão apresentados este ano no cinema do Shopping Novo Batel.

O Festival Universitário de Cinema e Vídeo de Curitiba, o Putz, está na quinta edição. Este ano, o evento recebeu 263 trabalhos de todo o Brasil, metade deles do Paraná. Entre os dias 27 e 31 de maio, o Putz apresentará os 54 trabalhos selecionados pela comissão avaliadora.

Curso da FAP quer centralizar a produção
O curso superior de Cinema da Faculdade de Artes do Paraná pretende se tornar o centro da produção cinematográfica paranaense. A idéia da escola é permitir que os alunos utilizem os equipamentos para projetos paralelos ao programa de graduação. “A prioridade é para o uso para as disciplinas. Mas havendo um espaço de sobra ou tempo livre, os estudantes podem realizar projetos independentes e até são estimulados para isso”, explica o professor Eduardo Baggio.

Com sua primeira turma se formando em julho de 2009, o curso da FAP é, hoje em dia, um espaço interessante para a troca de experiências com profissionais experientes e com os próprios professores. “Na universidade, você é assessorado por profissionais que já estão no mercado, que são os nossos professores. Além disso, é um ensino totalmente voltado à prática”, conta o estudante Adriano Esturilho, aluno do sexto período da FAP.

Com um estúdio pronto até o momento, o projeto da escola, até o término de 2009, é finalizar a construção de outros três. Com isso, a infra-estrutura do curso poderia ser aberta para todo tipo de produção. “Com projetos de fora na escola, os estudantes terão a oportunidade de conversar com profissionais. Isso seria muito importante para fomentar o cinema paranaense”, finaliza Baggio.

super oito em campinas

(eeee) três prêmios para o paraná no festival de super oito em campinas...

melhor filme super oito finalizado em digital: terence keller
melhor roteiro: leandro bossy
melhor montagem: pedro merege

Parabéns!!

15.5.08

Convitinho do GUTO: Sábado 17 de maio

Pessoal...

No próximo sábado, as 15h, estarei no auditório do Colégio Estadual do Paraná participando do projeto CINEMA COMENTADO, conversando com o público sobre "Made in Ucrânia" e outros trabalhos. Adoraria ter a presença de vocês lá.

Abraços


Guto Pasko

13.5.08

Díinamo 14 de maio


Díinamo, Núcleo de Cinema e Piratas Saqueadores da Namíbia convida para, amanhã, 14 de maio, exibição de

ATRIZES, de Rafael Urban

19h30
no Sesc Água Verde

By Urban:
"No dia 14 de maio (quarta-feira), às 19h30, no Sesc Água Verde, "Atrizes" será exibido pela primeira vez. A sessão faz parte da mostra Documentário e Subjetividade, com curadoria de Eduardo Baggio e Ana Lesnovski. O filme é o primeiro em que assino a direção sozinho desde a minha estréia, com João e Maria, em 2006. As fotos e o conceito do cartaz (em anexo) são de Ana Málaga, com arte de Lucía Alvarez, a artista também responsável pela arte gráfica do 5º Putz. O projeto teve a participação fundamental de três atrizes: Sheylli Caleffi, Pagu Leal e Sílvia Monteiro. Trabalho que também não seria possível sem a inestimável participação da Fita Crepe Filmes, produtora do curta".

Serviço:
Atrizes (2008, 20', HDV)
Sinopse: Sobre a vida de três personagens desenvolvidos pelas atrizes que as interpretam.
Estréia dia 14 de maio (quarta-feira), às 19h30, na mostra Documentário e Subjetividade,
no Sesc Água Verde (República Argentina, 944).

"Mystérios" em Cannes

Reinaldo Bessa
Paraná em Cannes
Publicado em 13/05/2008

Os produtores e diretores paranaenses Gil Baroni e Monica Rischbieter vão participar, nas próximas duas semanas, do Marché du Film, evento que ocorre paralelamente ao Festival de Cinema de Cannes e reúne produtores, distribuidores e exibidores de mais de 90 países. Os dois irão acompanhar a exibição do longa-metragem “Mystérios” nas sessões fechadas para compradores de filmes pré-selecionados pela organização do evento e tentar fechar acordos para co-produção e distribuição internacional de obras audiovisuais paranaenses.

“Mystérios”, dirigido por Beto Carminatti e Pedro Merege e estrelado por Carlos Vereza e Stephany Brito, será exibido nesta sexta-feira, às 20h30, no Palais C, em Cannes.

11.5.08

Dia das mães

Fui ver ontem PECADOS INOCENTES com Julianne Moore, sempre linda. A narrativa é comum, mas o tema é bastante complexo. Uma teia de relações humanas muito intrincada que me lembrou muito o autor que estudo no doutorado, Georges Bataille. Há um livro dele que foi adaptado para o cinema, "Ma mére", com Isabelle Huppert no papel de outra mãe deslumbrante (aliás, há uma cena em "Pecados Inocentes" em que Tony, o filho, é solicitado pela mãe a ler um trecho do livro "Justine", de Sade, com prefácio de Bataille). Os dois filmes refletem a conflituosa relação das mães com seus filhos, partindo de um princípio sexual bastante caro à nossa civilização burguesa e que foi "oportunamente" explorada por Freud, o complexo de Édipo. Foucault, Deleuze e Guattari vão olhar para isto e avaliar que não passa de mais uma farsa da burguesia capitalista. Mas se o homem parte mesmo do social para elaborar sua essência, que trama é esta que se passa na sexualidade familiar? Este tema me instiga e não consegui ainda parar de pensar na cena final do filme, muito perturbadora (não no sentido de novidade cinematográfica, mas no sentido de algo que, por mais clichê e banal que seja - no cinema -, ainda repercute e perturba o pensamento: o assassinato). Se Camus escreveu "só existe um problema filosófico realmente sério: o suicídio", eu escreveria que há outro igualmente perturbador: o assassinato.

Ricardo Pozzo, me dê um grito das ruas por onde andar!

Muito distante deste ambiente filosófico que nos arrasta para a reflexão acerca da morte, está JOGO DE CENA, de Eduardo Coutinho, que é uma aula sobre a arte de interpretar. Ou de ser (parecer). Preparo um texto sobre ele, portanto agora me contento em recomendá-lo. Muito.

E não deixem de ver O SAL DA TERRA que está entrando na terceira semana em cartaz. Muito feliz isso!

Josiane

O Sal da Terra pode ser visto nestes cinemas:
UNIBANCO ARTEPLEX
Sala 5 - 18h00 (todos os dias)
Shopping Crystal Plaza
CINEPLUS XAXIM
Sala 3 - 18h10 (todos os dias)
Shopping & Sports Xaxim - Av. Francisco Derosso, 3.488
Fone: 3074-6020 / 3074-6010
CINEPLUS CAMPO LARGO
Sala 1 - 17h45 (todos os dias)
Shopping XV Campo Largo - PR
Fone: 3032-1956
PORTAL PLAZA
Sala 3 - 14h15 (todos os dias)
Boqueirão (Shopping Portal Plaza, ao lado do terminal do Boqueirão)
Fone: 3344 - 5955

6.5.08

Núcleo de Cinema and Dominous

convida para, 07 de maio, no Paralelo, assistir aos curta-metragens:

OS TRÊS ROTEIROS – ficção, 16mm, 15’, 1999, de Luigi de Franceschi;

TUBO – ficção, 16mm, 15’, 2004, de Luigi de Franceschi;

E

PUNK AFONSO – animação inédita de Rodigo Belato;

(detalhes dos filmes abaixo)

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!






DETALHES SOBRE OS CURTAS

OS TRÊS ROTEIROS
curta-metragem em bitola 16 mm, finalizado em video
duração: 15 minutos, colorido
ano de realização: 1999
Projeto realizado como projeto final do curso de cinema da ARTCINE-ACADEMIA
DE ARTES CINEMATOGRÁFICAS de Curitiba em 1999

SINOPSE

Três cineastas iniciantes sem conseguirem realizar seus filmes, resolvem
sequestrar executivos para obrigá-los a ouvirem suas histórias.


RESENHA SOBRE O CURTA

"Um curta assumidamente trash, brincando com a situação atual do cinema
brasileiro e das dificuldades em se realizar um filme no pais"

FICHA TÉCNICA

atores ALESSANDRA DE OLIVEIRA ANDERSON JÁDER FLÁVIO JOSÉ
MÁRCIO DE SOUZA LUIZ RENATO MARCOS SOUZA OSVALDO SOARES
música EUGÊNIO FIM edição EDSON BISPO, ROGÉRIO FREITAS e
LUIGI DE FRANCESCHI diretor de fotografia EDUARDO SIGAUD
produção de EDUARDO SIGAUD JONERLAM CARVALHO GILBERTO ANTUNES HOMAR
PACZKOWSKI argumento de LUIGI DE FRANCESCHI
roteiro de MÁRCIO GONÇALVES e LUIGI DE FRANCESCHI
direção de LUIGI DE FRANCESCHI



TUBO
curta-metragem em bitola 16 mm
duração: 15 minutos, colorido
projeto realizado em Curitiba-PR, com recursos provenientes da Lei
Municipal De Incentivo á Cultura.
Ano de realização: 2004

SINOPSE

Um curitibano calado, um paulista falador, uma senhora indignada, uma
bengala voadora, um tubo.

RESENHA SOBRE O CURTA

"Uma bem humorada critica as diferenças culturais do pais, falando
principalmente dos sotaques dos paulistas e dos curitibanos. O curta gira
em torno da fama dos curitibanos de serem reservados e não hospitaleiros."


FICHA TÉCNICA

atores RAFAEL MAGALDI ADRIANO BUTSCHARDT
REGINA BASTOS ADRIANO PETERMANN RODRIGO D'OLIVEIRA
HOMAR PACZKOWSKI JOÃO CAPUTO SHEYLLI CALEFFI
música EUGÊNIO FIM figurino e maquiagem ELIANE APTZ
montagem MANOELA HENRIQUES e LUIGI DE FRANCESCHI
diretor de fotografia ADEMIR SILVA produção executiva OFICINA DE IMAGEM
produção GIL BARONI e LUIGI DE FRANCESCHI
roteiro e direção LUIGI DE FRANCESCHI

29.4.08

Díinamo, Núcleo de Cinema e Abadias Medievais

convida para,
30 de abril, às 20h, exibição dos curtas de Eloi Pires Ferreira e debate acerca de O SAL DA TERRA.

VALDIR & RUTE
1997, 35mm, 15 min
História de dois catadores de papel que se defrontam com um dilema após receberem em casa um fogão roubado.

Participação no Festival de Amiens, França, Festival de Curtas-Metragens de São Paulo e Rio de Janeiro, Fórum de Porto Alegre, entre outros. Prêmio de Melhor Montagem.

POLACO DA NHANHA
2001

Um avô polaco conta suas histórias à moda antiga, disputando a atenção do neto interessado em seriados de TV.

Menção Honrosa na 28a Jornada de Cinema da Bahia, Prêmio de Ator Revelação no 6o Festival do Recife, Melhor Direção de Arte e Ator Revelação no 25o Festival do Maranhão.

endereço:
p a r a l e l o: centro de artes visuais, rua conselheiro araújo, 315

Mestre Marçal em Londrina

24.4.08

Conjunção de Saturno com Plutão

Caso raro, hoje, sexta feira, dois longas do Paraná em cartaz na capital: ESTÔMAGO, de Marcos Jorge, e SAL DA TERRA, de Eloi Pires Ferreira.

Mas não é só isso!

Mercúrio se alinhou com uma lua fugidia de Urano e surge assim um terceiro longa nas paradas, AMADORES DO FUTEBOL, de Eduardo Baggio, terá sua pré estréia no MON.


Etcétera (Paulo Miklos) bate um rango com a bandidagem em ESTÔMAGO.




315 em 1

Neste sábado, 16 horas, na cinemateca:



preste atenção aos Banzai!

21.4.08

Núcleo de Cinema e Bodas de Algodão - 23 de abril

Díinamo, Núcleo de Cinema e Bodas de Algodão convida para, nesta quarta-feira, 23 de abril, 20 h, no Canal da Música:


O Sal da Terra
Filme em 35 mm de Eloi Pires Ferreira

O Canal da Música fica na Rua Júlio Perneta 695, Mercês
Curitiba-PR


E: Exibição em Cinema em Curitiba e Região – estréia em 25 de abril de 2008

CINEPLUS XAXIM
Av. Francisco Derosso, 3.488.
Shopping & Sports Xaxim Fone: 3074-6020 / 3074-6010

CINEPLUS JD. DAS AMÉRICAS
Cineplus Jardim das Américas
Av. N. Sra de Lourdes, 63. - 2o. andar
Shopping Jardim das Américas Fone: 3029-7099

CINEPLUS CAMPO LARGO
Rua XV de Novembro, 2.295.
Shopping XV
Campo Largo - PR
Fone: 3032-1956

CINE ÁGUA VERDE
Avenida República Argentina, no. 1927. Água Verde
Fone: 3244-5272

UNIBANCO ARTEPLEX
Shopping Crystal Plaza
Rua Comendador Araújo, 731. – Batel

Nos vemos lá...

19.4.08

Andrei Tarkovski

“Se tentarmos agradar o público, aceitando acriticamente suas preferências, isso significará apenas que não temos respeito algum por ele, que só queremos o seu dinheiro. Em vez de educarmos o espectador através de obras de arte inspiradoras, estaremos apenas ensinando o artista a garantir seu lucro. De sua parte, o público – satisfeito com aquilo que lhe dá prazer – continuará firme na convicção de estar certo, uma convicção no mais das vezes sem fundamento.
Deixar de desenvolver a capacidade crítica do público equivale a tratá-los com total indiferença”

18.4.08

DUPLO LANÇAMENTO: 23 E 25 DE ABRIL "AMADORES DO FUTEBOL" E "O SAL DA TERRA"



AMADORES DO FUTEBOL, DE EDUARDO BAGGIO
25 DE ABRIL
MON
19H30

E

O SAL DA TERRA, DE ELOI PIRES FERREIRA
23 DE ABRIL
20 H

Cinema Nosso Convida:

Quarta-feira, 23 de abril. No Canal da Música vai ser lançado o Sal da Terra, filme de longa metragem em 35 mm de Elói Pires Ferreira. Este roadmovie curitibano, rodado no Paraná, finalmente chega aos cinemas.
Eloi Pires Ferreira é um cronista audiovisual; quem viu seus principais trabalhos anteriores (Vamos junto comer defunto?, Valdir e Rute e Polaco da Nhanha) conhece as suas potencialidades para explorar poeticamente a tensão da vida cotidiana de pessoas em dilema. Em O Sal da Terra não é diferente. No dia-a-dia da estrada, três personagens, o padre-caminhoneiro (Edson Rocha), o caminhoneiro (Enéas Lour) e o andarilho (Luthero Almeida) convivem com angústias, alegrias e incertezas. A trama se desenrola tendo como cenário os rituais religiosos praticados em lugares improvisados de convívio dos caminhoneiros. Os três personagens, guiados pela linguagem de cronista de Eloi, expõem então a vida cotidiana em situações identificadas a arquétipos antigos preservados e mitificados nestes rituais.
Venha conferir conosco o resultado desta proposta. E agradeceríamos a todos que convidarem os amigos para partilhar este momento conosco.

EQUIPE O SAL DA TERRA

Lançamento: 23 de abril. 20 h.
Canal da Música: Rua Júlio Perneta, 695. Mercês

15.4.08

DÍINAMO - Núcleo de Cinema, Girassóis e Bola na Rede

convida para, nesta quarta-feira, a avant-premiére em Curitiba de:

[cancha 2] cantigas para perverter juvenis

Livro-DVD de Adriano Esturilho e grande elenco...



O livro-DVD traz 25 contos curtíssimos de Adriano Esturilho e 10 curtas-metragens adaptados a partir deles por Bia Dantas, Bruno de Oliveira, Eduardo Baggio, Fábio Allon, Henrique Faria, Rodrigo Belato, Sérgio Velloso e pelo próprio Esturilho.

Dia: 16 de abril, às 20 horas, no

p a r a l e l o : centro de artes visuaisRua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR


DÍINAMO núcleo de cinema reúne-se todas as quartas-feiras para discutir estética e produção cinematográfica.


Sobre os Contos

Nos 25 contos integrantes do livro (cada um com uma ou duas páginas), Esturilho aposta na concisão e na mistura da prosa com a linguagem poética. Cada conto leva o nome de um ponto da cidade de Curitiba, como a Boca Maldita, a Rua 24 horas, a Rua das Flores, compondo um breve passeio, com um novo olhar, por vielas antes visitadas por Dalton Trevisan.

O subtítulo - Cantigas para Perverter Juvenis – aponta para o espírito das diversas vozes narrativas dos contos. Embora não se trate de um livro infanto-juvenil, a passionalidade adolescente e um olhar pueril são peças-chave para a leitura. O próprio título – Cancha 2 – já remete a uma lembrança dos tempos do futebol de adolescência. O autor exercita um texto imagético e sonoramente construído, cercado de ironia, erotismo e toques de realismo mágico.

Sobre o DVD:

Enquanto parte dos curtas traz uma linguagem cinematográfica - transformando as histórias em imagens e abrindo mão da palavra total ou parcialmente -, outros optaram por manter o peso do texto original em off, buscando imagens que fogem do ilustrativo e dialogam com a sonoridade das palavras com um mesmo peso. De forma inusitada, alguns dos contos foram escritos a partir dos curtas já prontos, invertendo a lógica de adaptação. Assim, o cinema foi adaptado para a literatura.

O projeto dá seqüência às pesquisas de transposição de linguagem realizadas pelo grupo Processo MultiArtes, com forte atuação no teatro de linguagem experimental e marcado por transitar entre diferentes linguagens e suportes artísticos, tendo produzido em 2007 seus primeiros trabalhos para o cinema digital através de seu recém criado braço cinematográfico - a Processo Filmes (a exemplo do média-metragem "Café do Teatro!", de Esturilho, e do ainda não lançado "Os Dias Cinzas", de Bruno de Oliveira), além de uma peça radiofônica de Samuel Beckett.

O livro também já gerou uma peça teatral do grupo, apresentada no primeiro semestre de 2007, e alguns de seus contos já foram adaptados para canções por Esturilho e Mario Carta, a serem gravadas em 2008 e lançadas em CD, dando sequência ao projeto.

O livro-DVD "Cancha 2 – Cantigas para Perverter Juvenis" teve tiragem de 1000 exemplares pela editora Medusa de Curitiba e foi selecionado pelo Edital 2007 de ocupação dos espaços da CAIXA Cultural, tendo sido lançado em novembro de 2007 no Rio de Janeiro, com exibição dos curtas e debate com os realizadores

14.4.08

Lançamento do longa paranaense O SAL DA TERRA

Olá pequenos dinamites, vamos nos preparando e já divulgando... mais um longa paranaense chegando aos cinemas... "O Sal da Terra", de Eloi Pires Ferreira (do qual participo fazendo a Produção Executiva), terá pré-estréia no dia 23 de abril, quarta-feira, às 20 horas, no Canal Da Música... Nosso Díinamo será lá neste dia... Além de irmos a este evento, vamos batalhar para encher as salas de cinema e fazer os filmes brasileiros ficarem mais tempo em cartaz... Aproveito para convidá-los a fazer o mesmo com "Estômago" de Marcos Jorge, que já está em exibição...

A história do filme O SAL DA TERRA narra, com estilo de crônica, a vida de um padre que optou pela estrada e reza missas em postos de gasolina, de dentro de seu caminhão.

beijim-beijim, Josiane

12.4.08

Ultimos dias para se inscrever no PUTZ!

O tempo para inscrever o seu audiovisual no 5º PUTZ! está acabando. Informações no site do festival: www.putz.ufpr.br

8.4.08

Díinamo, Núcleo de Cinema Xique Xique

convida para, 09 de abril, assistir aos curta-metragens:

VALSA - ficção, 20', de Jadão da Silva

PENSANDO EM BÁRBARA - ficção, 15', de Bruno Oliveira

e, atendendo a pedidos, reprisaremos o grande sucesso:

GALAXÃO: FLORIANO ESTÁ SEM SORTE - ficção, 15', de Fernando Coelho;

(sinopses abaixo)

p a r a l e l o : centro de artes visuais
Rua Conselheiro Araújo, 315 - Curitiba - PR

20 HORAS!!!

SINOPSES

O filme "Valsa" conta a história de Miguel, um presidiário que recebe uma proposta para assumir um assassinato que ocorreu no presidio onde está. A principio ele fica tentado com a proposta, pois ficará muito tempo preso e mais uma morte em sua ficha não fará diferença. Enquanto analisa a oferta ele recebe a visita de sua esposa que está preparando a festa de quinze anos de sua filha, festa esta que Miguel não poderá presenciar e nem dançar a tão sonhada valsa com sua única filha. Este fato cria em Miguel a dúvida entre assumir o crime e receber o valor proposto ou não assumir, não dançar a valsa porém livrar sua família de mais uma vergonha.





Pensando em Bárbara conta a estória de Nicolas, um homem que tem de enfrentar a solidão e o desajuste após a separação. Ele tem como consolo a voz da ex-mulher em fitas gravadas da secretária eletrônica.